.

20/07/2017

Entrevista c/ Filipe Piletti Plucenio

Imagem relacionada

Olá a todos.


Estou aqui para entrevistar ninguém mais, ninguém menos que Filipe, desenvolvedor de Go Coach. O site é de Brasfoot, eu sei, mas quem disse que não falamos sobre Brasfoot nessa entrevista?!


Ficou interessado? Continue lendo.

Quem é o entrevistado?


Nome completo: Filipe Piletti Plucenio
Idade: 30 anos
Localização: Torres, Rio Grande do Sul


Olá, Filipe. Pra começar, gostaria de te fazer uma pergunta um tanto quanto intrigante. Qual é a tua pretensão produzindo esse game (Go Coach)? Você considera viável?
Ótima pergunta! O Go Coach é um misto de sonho com profissão. O primeiro jogo nesse estilo que eu joguei foi o Elifoot 98, eu e um amigo meu jogávamos dia e noite e tínhamos várias ideias para o jogo, era assunto por grande parte do tempo na escola. Sempre fiquei muito curioso sobre como o game era feito "por trás dos panos". Por acaso, me formei em análise de sistemas e trabalhei em uma empresa que desenvolve um sistema de automação comercial (sistema para supermercados e lojas) por seis anos, chegou um momento que a rotina tomou conta e eu me perguntei o que eu estava fazendo de legal de verdade. Juntei uma grana e planejei sabendo que poderia não ganhar nada com isso, pedi demissão da empresa e decidi arriscar. Estou há mais de um ano desenvolvendo o game e ainda não está pronto. Acredito que o Go Coach possa ser uma ferramenta de divulgação de propagandas e dessa forma eu pretendo monetizá-lo.


Você já deve saber que o público anda insatisfeito com o Brasfoot pela falta de empenho de seu desenvolvedor. Esse também foi um dos motivos para a criação de Go Coach ou você tomou essa decisão sozinho?
Antes de tudo, eu comecei por diversão. Antes mesmo de pensar em sair do meu emprego, eu desenvolvi alguns aplicativos para Windows Phone e um deles foi um jogo manager que foi um pequeno sucesso, na época (2015) ele até figurou na vitrine da loja (recebo e-mails até hoje de pedidos de atualização). Ele serviu para eu ter certeza de que se quisesse, conseguiria fazer o jogo dos sonhos. Tentei entrar em contato com os criadores do Elifoot e do Brasfoot para trabalhar com eles, mas não tive sucesso. Descobri que o público está insatisfeito há pouco tempo, mas isso não foi a motivação inicial, até porque eu não estava mais jogando o Brasfoot, minha intenção nunca foi derrubar um jogo, até porque ninguém joga só um jogo na vida. Nada impede alguém de jogar Brasfoot e FM, por exemplo.


A pergunta que não quer calar: você pretende cobrar alguma coisa pelo jogo ou ele será free-to-play?
Uma vez eu li uma entrevista com o André Elias, o criador do Elifoot, e ele foi questionado sobre os cracks que eram facilmente encontrados na internet, e ele respondeu: "Tudo isso elevou o Elifoot a uma lenda, fez do jogo um clássico". Não que eu seja a favor dos cracks, mas o produto só poderá ser conhecido se ele for acessível. A Google que é uma das maiores empresas do mundo disponibiliza alguns de seus produtos de forma gratuita. Acho difícil que seja viável não cobrar nada pelo produto, mas ninguém vai ficar sem jogar por não poder pagar pelo jogo se ele for cobrado.


Como você irá divulgar Go Coach? Colocará na Steam Greenlight? Apostará no impulsionamento das publicações no Facebook? Vai deixar o jogo crescer sozinho? Como vai ser?

Eu não tinha planos de divulgar o jogo ainda, na verdade eu precisava de mais gente jogando para saber o que eu deveria ajustar, foi quando entrei em dois ou três grupos de Brasfoot no Facebook e pedi permissão para divulgar para encontrar testers. Eu esperava que seria difícil conseguir alguém disposto a testar um jogo que ainda não estava/está pronto. A página do jogo estava criada mais por ansiedade de finalizar do que por necessidade, eu fui o único a curtir a página por duas semanas, mas tudo dentro do planejado, eu estava escondendo mesmo. Acredito que para o bem do jogo a coisa tem que acontecer de forma mais orgânica por enquanto, e assim que ficar estável vou investir em uma divulgação mais forte.

Diga-me: você trabalhou sozinho nesse jogo assim como o Emmanuel dos Santos trabalhou sozinho na criação do Brasfoot ou alguém te ajudou? Já passou pela sua cabeça desistir no meio do caminho?
O levantamento de ideias e requisitos eu fiz baseado na experiência com os jogos que conheço e suas carências. Com isso em mãos, fiz a modelagem do banco de dados e já iniciei a implementação, tudo basicamente sozinho, mas meus ex-colegas de trabalho sempre me dão um apoio quando tenho alguma dúvida. Depois que o aplicativo ficou realmente jogável, meu irmão me ajudou com alguns testes. Eu quase desisti bem pouco tempo antes de lançar a primeira versão do Go Coach. Na verdade, não iria desistir, mas iria adiar. Recebi uma proposta de emprego relativamente boa e quase fui, mas como o compromisso comigo mesmo falou mais alto, eu me permiti tentar finalizar o jogo para depois ver o que vai acontecer.

Você se arrependeu de recusar a oferta de emprego?
Não. Talvez quando minha grana acabar, eu me arrependa. (risos)

Qual linguagem de programação você usou em Go Coach? Você é um programador profissional ou apenas um aventureiro?
O jogo é desenvolvido na linguagem C# e o visual é feito com WPF que são arquivos XAML. Utilizo a ferramenta Visual Studio. O banco de dados está em SQLite e utilizo o EntityFramework como ORM. Sou formado em superior tecnológico em análise de sistemas e tenho pós-graduação em gestão de banco de dados, as duas formações pela Universidade Luterana do Brasil.

Quando você finalizou a 1ª versão de Go Coach, qual foi a sensação?
Orgulho. Sempre me pareceu algo muito distante poder desenvolver um jogo desse tamanho,
depois de muito empenho e madrugadas em claro ver que todo trabalho se transformou em um jogo, mesmo que bem simples, é muito gratificante.

Sei que é muito cedo para perguntar isso, já que nem teve lançamento oficial ainda, mas o que você quer adicionar no game? Prefere que ele se torne um verdadeiro simulador ou vai haver um equilíbrio entre simplicidade e complexidade?
Já existem muitas implementações iniciadas, não vou contar aqui porque se contar o que estamos desenvolvendo, o meu chat não vai me deixar trabalhar mais, acho que o jogo vai ficar realmente legal, estou dando o meu máximo para que fique. Mas deve haver um meio-termo, se ficar complexo demais o Go Coach perde para o FM, então o meio do caminho é a melhor opção.

A gente sabe o quão complicado é para corrigir todas as falhas que um sistema apresenta. O jogo vai ter suporte para bugs? Se sim, como funcionará?
Suporte ainda não, porque se eu for fazer isso vou ter que contratar alguém para atender os chamados e no momento é impossível financeiramente, vou lançar versões frequentes com correções e novidades.

Todo jogo que faz sucesso é vulnerável aos mods, isso é de lei. Para Brasfoot mesmo, existem os "trapaceadores", programas criados por fãs do jogo que facilitam a vida dos noobs, por exemplo, gerando grana. O Emmanuel dos Santos, sem sucesso, até tentou impedir os mods na versão 2010. Qual é a sua opinião sobre isso? Você vai permitir no seu jogo?
Isso vai de pessoa pra pessoa, se a pessoa acha que é mais legal trapacear, eu tenho que deixar ela se divertir, já pra quem prefere um desafio, nem vai instalar um programa assim. Não acho que isso vá atrapalhar o jogo.

De cara, achei esse seu projeto muito interessante, mas tirando Go Coach, você atualmente está produzindo algum jogo ou está focando somente em Go Coach mesmo?
Todas as energias voltadas ao Go Coach. Como falei, é um sonho de muito tempo, vou trabalhar para que ele seja, talvez, o início de um projeto maior. O público que o jogo atinge é geralmente de jovens e é um compromisso levar a melhor mensagem possível aos gamers através do jogo. O sonho é criar uma empresa sustentável que gere empregos onde as pessoas trabalhem de forma saudável e prazerosa.

Poderia deixar um curto recado aos leitores do Brasfoot Dicas e da Vício Foot?

Uma frase que não é minha, mas que eu queria muito ter sido o autor e que tem sido o meu mantra no desenvolvimento do jogo: "Faça chuva ou faça sol. Esteja você de bom humor ou de mau humor.
Esteja você com sorte ou com azar. Mas, todos os dias, dê um passo em direção ao seu objetivo. Todo dia, faça alguma coisa para se aproximar de seu objetivo. Ao final de um ano, serão 365 passos em direção ao seu objetivo" (Marcelo Sales, 21212 Digital Accelerator). E por fim, uma frase que eu acho que pode ser minha: "Aproveite bem as aulas de inglês, você vai precisar".



Valeu pela entrevista, Filipe. Perdoe-me por algumas inconvenientes perguntas, eu preciso de views!!! Enfim, deixando a brincadeira de lado, pode ter certeza que te ajudarei como puder nessa tua nova empreitada! Um forte abraço.

Fiquei muito feliz por ter o trabalho reconhecido assim tão rápido. Foi um prazer conversar e espero que eu possa te ajudar também. Um grande abraço!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


E o post termina aqui, galera. Essa foi minha conversa com o Filipe. Quero agradecê-lo mais uma vez por ter aceitado o convite.



Outras postagens interessantes como essa você encontra facilmente no Brasfoot Dicas e na Vício Foot!

Abraços,
Octávio H. Famá.

2 comentários:

Anônimo disse...

Go coach melhor que o brasfoot sem duvidas

Mateus Maciel disse...

Bem, eu li toda a entrevista!
Fico feliz que o programador do Go Couch, seja aqui do RS, pois também sou... (Jaquirana-RS)
Estou jogando Go Couch a 7 dias, e já venci duas vezes o campeonato brasileiro e duas a copa do Brasil com o Grêmio!
O Jogo é ótimo na questão financeira, ultrapassando muito o Brasfoot e o FM, sem duvida alguma!
O jogo ainda esta em desenvolvimento e tem muito para ser implementado, como competições internacionais, artilheiros, convites para mudar de técnico, seleções, mais ligas, mais divisões, OVR dos jogadores, enfim; essas coisas das quais acostumamos desde o elifoot!
Joguei Elifoot desde 1999 e ainda tenho o aplicativo no celular, Juntamente com o FM e o CM que não é muito conhecido!
Comecei jogando o brasfoot em 2001, e desde então não parei mais!

Sou um dos maiores fãs de managers de futebol!

E deixo minha torcida ao Filipe, que tenha muita sorte e persistência... Que não desista, pois já tem um grande fã de sua criação! (eu :D)

Forte abraço! Sucesso nessa caminhada!

Postar um comentário

 
Editado Por: Mais Template Designer Criador: Carlos Adailton